Songy33:A cereja no bolo!

Após 7 meses escrevendo quase que diariamente chegou a hora de encerrar mais um ciclo na minha vida: O Blog!

Quando eu decidi expor minhas idéias ao público eu estava exorcizando coisas que me incomodavam algum tempo. Independentemente do assunto ou o que eu estava sentindo naquele instante. Eu só queria manifestar meu sentimento de alguma forma que não ferisse ninguém!

Ao todo foram 75 textos por onde gritei minhas dores, alegrias e contrastes do meu senso de humor! Falei das minhas paranóias e de como cheguei até aqui sendo um sobrevivente nato!

Creio que aprendi muita coisa no momento que dei a cara a tapa por aqui e isso me tornou uma pessoa ainda melhor! Agradeço a todos que dedicaram um pouco do seu tempo lendo e opinando sobre minhas “viagens”! Fico deveras lisonjeado!

Tenho em meta continuar expondo meus sentimentos como sempre fiz: pela música! É por lá que vocês irão me encontrar:www.mamutesound.com

Eis a cereja que faltava nesse bolo…

Tábua da Salvação!

De vez em quando recebo aqueles santinhos com mensagens evangélicas que são distribuídos nas ruas e me ponho a imaginar…

O que sinto é que muitos que usam dessa técnica de persuasão se consideram os legítimos representantes de Deus aqui na Terra. Por que não dizer os “Escolhidos”! Sei que alguns são vítimas da própria ignorância e agem de boa fé, movidos apenas pela dor. Outros encarnam o papel de arautos celestiais e ficam ofendidos quando recebem um “Não!Obrigado!”.

Às vezes quando me sinto sozinho e confuso sei usar das dificuldades para tirar uma lição positiva. Infelizmente a maioria das pessoas acabam buscando refúgio em algum ópio popular. Tudo é desculpa para aliviar a parte dolorosa da vida!

Para mim, viver o espinho é aprender a entender a beleza de uma flor!

A solidão do pensar…

Quem ousa imaginar por um segundo em meio a turbulência de viver, o quanto é solitário ter suas próprias idéias e ideais.

Coragem não ficou para todos! São poucos que levam seus pensamentos e opiniões a frente. Por medo da crítica. Por temor em assumir o que sente em público. De assumir a condição de senhor de si mesmo e não ao domínio dissimulado do rebanho.

É árduo meus amigos! Seguir sem fugir a batalha pela sobrevivência. Segurar o tranco por pensar demais, correndo o risco de padecer e morrer sozinho sem ninguém para compreender a sua mensagem.

Não me levarei pelo cansaço e a fadiga  que exige o ato da reflexão! Porém não me darei por vencido ao pregar para os surdos e mudos que só sabem rir e dançar para o mundo.

Woodstock!!!

Nesse mês de agosto comemorou-se 40 anos do Festival de Woodstock! E para a data não passar em brancas nuvens, decidi publicar um texto que eu fiz para a Janis Joplin – um dos nomes que abrilhantou esse evento histórico!

Para Janis:

Algumas pessoas nascem e crescem com um grito preso na garganta. Engolem a seco uma angústia, uma dor represada que mais cedo ou mais tarde, o corpo, o nosso dique maior, não suporta, explode, se esvai! E o que vem a garganta não exprime totalmente o grito da alma!

Ainda latejo em mim…na pele e no sorriso que me parece ferir em cada fotografia, ou em cada pedaço de espelho quebrado pela minha vaidade!

Meu bem!As horas passam e meu desespero só aumenta!Como uma onda sem poder arrebentar no rochedo!Como um carro desgovernado pela razão e guiado pela loucura!Como um balão que brinca com a ponta da agulha…

Esse grito não se escuta aos ouvidos nus…mas se alastra e ecoa no espírito!

Quando o medo grita em silêncio a alma acaba ensurdecendo!

Pontilhado invisível!

Na Grécia Antiga acreditava-se que o Homem já nascia com seu destino traçado. Que tudo estaria estaria escrito, portanto imutável!

A verdade é que a ciência, a religião e os especuladores, comentam muito sobre esse assunto. Há quem defenda o seu livre-arbítrio com unhas e dentes e outros que preferem a tragédia grega como a realidade.

Albert Einstein disse certa vez que Deus não joga dados a toa! Pois no universo não existe o acaso. O que podemos afirmar que a condição Divina não permite ” engrenagens variáveis” que tudo depende de um único roteiro. Consequentemente a vontade do ser humano seria insignificante no patamar universal. Ou seja, livre-arbítrio foi a forma que encontramos para justificar a nossa falsa liberdade e autonomia!

Na minha microscópica visão de vida, sempre vi essas questões como um grande tabuleiro de xadrez. Onde somos meras peças nas mãos do bem e do mal. Apenas grãos de areia numa ampulheta além da massa encefálica!

A essa altura da vida não cabe mais me indagar se eu me programo ou se fui programado. Só me cabe ir adiante cobrindo o pontilhado invisível que chamam de destino.

O que me faz seguir…

O que me faz seguir é a confiança. Digo em relação as pessoas e a mim mesmo! Nenhuma das decepções que tive me fizeram perder a fé nisso!

Não consigo generalizar o bem e o mal, a esquerda e a direita, o preto e o branco. Cada elemento e cada pessoa são mundos diferentes. Pois aquele que te fez sangrar pode um dia até salvar sua vida.

Apesar do meu pessimismo relutante, acredito no amor que posso oferecer e receber. Se eu não crê mais nisso, quem por mim fará?

Creio que posso entrar no mar e não me afogar! Que posso atravessar uma rua sem ser atropelado! Que a corda da minha guitarra não vai partir no meio de um solo! Que posso me relacionar com o mundo sem levar uma facada nas costas! Tudo que falei vai depender da responsabilidade que nós carregamos pela vida! Confiança sem fé não existe!

Confiar em alguém ou em algo é um árduo exercício de paciência e dedicação! Uma brincadeira diária rente ao desfiladeiro durante toda uma existência!

Happiness is a warm gun!

No momento que o Homem desceu das árvores, andou ereto e descobriu que poderia ser feliz, tudo ficou mais difícil!

Por ser um estado passageiro de excitação, criou-se uma necessidade desenfreada da eterna busca da felicidade. Como se ela fosse um lugar ou um objeto concreto ao alcançe de todos.

Para ser honesto não lembro do meu último lampejo de alegria. Minhas últimas glórias foram baseadas nas vitórias alheias. O que me deixou feliz por meus amigos e suas conquistas!

A vida não é uma ciência exata. Portanto a fórmula para a felicidade não existe! Nenhum livro de auto-ajuda carrega essas respostas! Apesar de todas as simpatias, filosofias e métodos explicativos, só podemos resumir o sentimento dessa busca como uma breve dose de euforia para os sentidos!

Diariamente me pego rindo “de não sei o quê” como terapia pra alma. Talvez tenha sido a maneira que encontrei de ludibriar a felicidade do sono dessa tristeza sem fim…